segunda-feira, 13 de março de 2017

#elasmeinspiram - Terceira Historia

Olá Tchutchucas!

No dia 12 de março a pretinha que vos fala completou um ano de Big Chop, e eu estou muito feliz com a minha decisão de ter voltado ao cabelo natural. Muita coisa em mim mudou depois que fiz o grande corte.
Eu vivo batendo na mesma tecla e dizendo: Transição e a fase em que agente se reinventa ou a fase em que agente se descobre. De repente notamos que gostamos de coisas que nem imaginávamos, mas depois de se libertar das algemas que ditavam o que você podia e o que era melhor para você tudo parece novo.



A minha historia e bem parecida com a de muitas de vocês, tendo começado com alisamentos ainda quando criança e vendo as coisas só piorarem quando fiquei adolescente. Hoje quero falar um pouco sobre mim e por isso a terceira historia será a minha. Eu sou Aline de Assis Geraldino tenho 29 anos quase 30, mãe e uma mulher muito sonhadora.

E como eu dizia a minha historia e como a de vocês, por não ter noção de como cuidar e pelo padrão de beleza existente a anos atrás, minha mãe acreditando estar fazendo o melhor para mim com 7 anos de idade resolveu fazer um relaxamento no meu cabelo. Eu me lembro que quando eu ia a igreja ela fazia dedoliss no meu cabelo e eu adorava, sempre gostei muito de cachos, mas depois do relaxamento tudo mudou.
Meu cabelo passou a ser cada vez mais difícil de cuidar, sempre estava fazendo alguma química para tentar controlar e como não tínhamos dinheiro para gastar com salões agente usava produtos baratinhos de supermercado e farmácia. Alguém se lembra do ISIS? Aquela bisnaga rosa que queimava o couro cabeludo e levava um mês para sumir o cheiro horrível do produto do cabelo.
Depois veio a GUANIDINA e por muito tempo eu usei e achava que era bom, porém não me lembro de usar meu cabelo solto, sempre estava partido ao meio e preso na nuca, além de molhado e com muito creme. Era horrível!
Teve uma vez que uma amiga foi passar um produto no cabelo e dela e sobrou, como o dela ficou legal eu peguei a sobra e apliquei no meu cabelo. Na hora de retirar o produto o cabelo saia todo na minha mão, perdi muito cabelo e tive o corte químico bem na frente nessa parte onde e a franja. Fiquei desesperada, ai foram mais de um ano sem usar nenhuma química, só uma faixa na cabeça para cobrir a parte que quebrou e ninguém ver.
Ai ea inevitável que me sentisse muito feia e que não tivesse nenhuma confiança, eu quase não falava, tinha medo de abrir a boca pra dizer um "Oi". Quando o cabelo se recuperou voltei a fazer relaxamentos, mas agora eu tinha mais cuidado. Me lembro de uma vez ir em um salão para fazer um procedimento, e no dia seguinte o cabelo parecia uma palha, voltei no salão e naquele dia mesmo sem saber eu aprendi a fazer fitagem. A cabeleireira me ensinou como finalizar meu cabelo e me indicou um creme de pentear que eu fiquei usando por anos, ele tinha muitos óleos na composição e por isso deixa meu cabelo nutrido. Claro que não entendia nada disso!


Quando comecei com as progressivas eu estava feliz com meu cabelo, mas ainda muito influenciável fiz para entrar na moda do cabelo liso, nunca consegui porque por mais que eu tentasse meu cabelo só ficava liso se eu escovasse e pranchasse, e não tinha formol que conseguia mudar isso.
Mas tudo mudou quando eu conheci uma garota, que falava sobre cabelos cacheados na internet. Essa garota ficou conhecida por ensinar a fazer gel de linhaça dourada e como arrumar o cabelo, sim estou falando da Rayza Nicacio. Ela me mostrou que eu podia sim ter o cabelo cacheado se eu quisesse e por isso decidi parar de alisar, até porque meu cabelo já não estava mais aguentando procedimentos de transformação.



No canal tem um video que conto como foi a minha transição mas se quiserem eu posso fazer um post aqui no blog também.
Apesar de ter sido influenciada pela Ray para voltar aos cachos, foi a Ana Lidia que me inspirou para o big chop. Mas elas não foram as maiores responsáveis, eu tive pessoas que são próximas a mim que me deram muito apoio, e sempre me impulsionaram a seguir em frente.
Sempre gostei muito de escrever porque era a unica forma que eu tinha de me expressar e dizer o que pensava, as vezes por poesias, cartas e algumas vezes até por paródias. Mas depois do BC isso mudou bastante e hoje consigo me posicionar sobre assuntos e deixar claro minha opinião. Mas o blog veio para preencher essa necessidade de escrever que sinto desde adolescente, é muito prazeroso para mim.


Não existe nada nesse mundo que você não possa, basta querer muito e fazer algo para que seu desejo se concretize. O primeiro passo tem que partir de você, Deus vai te ajudar, as pessoas que te amam iram te apoiar, mas ninguém pode decidir por você.
O processo para o big chop é como um treinamento, ali você aprende a dizer não, a mostrar que você é diferente sim é isso não é ruim. Agente entende que cada detalhe faz parte do que você é, e começamos gostar. E isso é fantástico!
Eu espero que vocês tenham gostado de saber um pouco mais da minha história, eu pretendo continuar postando as historias durante o mês de março e quem sabe essa série não se estende e se torna fixa aqui no blog não é mesmo?!
Então até o próximo post, um beijo grande e obrigada por me ouvir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário